P U B L I C I D A D E

26 de março de 2017

Prevenção e Tratamento de Feridas Complexas:
João Magro integra equipa em Centro de Excelência no Hospital Dr. José Maria Grande de Portalegre

A Consulta Externa do Hospital Dr. José Maria Grande em Portalegre constitui um Centro de Excelência em Prevenção e Tratamento de Feridas Complexas.
De acordo com uma nota recente emanada da ARS Alentejo, a sua equipa multidisciplinar, de que faz parte o médico cirurgião João Magro, residente em Póvoa e Meadas, observa cerca de 20 doentes com feridas complexas ao longo do dia, oriundos de todo o país. 
O Hospital Dr. José Maria Grande, da Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano, é já mesmo considerado uma referência a nível nacional na área de tratamentos de feridas, recebendo ao longo de todo o ano vários pedidos para estágio profissional no âmbito de pós-graduações, mestrados e doutoramentos.
Envelhecimento e doenças crónicas
O envelhecimento global da população (em que Portugal não é exceção), associado ao desenvolvimento de doenças crónicas, como é o caso da diabetes, irá necessariamente aumentar o ónus com as feridas crónicas, que se poderá vir a traduzir num impacto muito relevante, a nível socioeconómico nos próximos anos. De facto, a incidência de feridas na União Europeia a 27 países (UE-27) é de cerca de 4 milhões de doentes, sendo que mais de 2 milhões de doentes adquirem infeções nosocomiais (hospitalares) anualmente. Estima-se que mais de 23% dos doentes hospitalizados tenham uma úlcera de pressão e que a maioria das úlceras por pressão ocorra durante a hospitalização devido a um episódio agudo de doença/lesão. 
Custos elevados
Abordagem em equipa é a resposta
O tratamento de uma ferida problemática pode custar entre 6 650 EUR e 10 000 EUR por doente, sendo que o custo total dos cuidados com feridas representa 2% a 4% dos orçamentos europeus para os cuidados de saúde. Além disso, é provável que 27-50% das camas hospitalares de cuidados agudos sejam diariamente ocupadas por doentes com feridas (EWMA 2015).
Um dos maiores desafios no tratamento de feridas é a falta de serviços unificados para responder a todas as necessidades de cuidados de saúde dos doentes com feridas. Foi neste contexto que se conceptualizou o projeto sobre a abordagem em equipa ao tratamento de feridas, na consulta externa do Hospital Dr. José Maria Grande. 
Cirurgião, enfermeiro, anestesista...
Nesta equipa, é utilizada uma metodologia interdisciplinar, com intervenção do cirurgião, enfermeiro, anestesista, entre outros profissionais de saúde, centrada nos vários problemas associados às feridas e não só no tratamento local (material de penso), onde se destaca a capacidade de comunicação, sendo o desafio diário desenvolver intervenções cada vez mais complexas com recursos limitados e com um número reduzido de profissionais de saúde qualificados, sem prejudicar a segurança do doente, que está no centro de todas as intervenções de cuidados de saúde.
Em conclusão, a prestação de cuidados multidisciplinares no tratamento de feridas tem benefícios comprovados para o doente, a instituição de cuidados de saúde e os profissionais de saúde. © NCV

Sem comentários: