P U B L I C I D A D E

11 de outubro de 2018

In memoriam de Alberto Tapadinhas de Assunção
- poeta da "Terra branquinha" faleceu no passado dia 6

MINHA SENHORA DA PENHA
Lá na serra, num belo planalto,
envolta em escarpas gigantescas
há uma capela pequena, altaneira,
onde mora uma Santa Senhora
de olhos piedosos, contemplando
um corpo esquelético e sem vida
de um Cristo com rosto sofrido.
 
Lá na serra, bem lá no cimo,
Entre  giestas, pinheiros e rosmaninho,
há uma capela toda vestida de branco
onde mora uma Santa Senhora
envolta num lindo manto escarlate
que cobre a tristeza do seu rosto
e os seus olhos cândidos rasos de água.
 
Lá na serra, bem lá no alto,
entre rochedos sem vida e o Céu,
há um Santuário com frouxa luz
onde mora uma Santa Senhora
que com olhos piedosos mas a sorrir
parece estar estasiada a comtemplar
aquela Terra branquinha onde um dia eu nasci.
                            poema de Alberto T. Assunção.
O Alberto morreu no passado dia seis. Deixa-nos saudade e dois livros de poemas.
Até sempre Alberto.
os teus amigos de “aquela Terra branquinha”

Sem comentários: