P U B L I C I D A D E

12 de janeiro de 2019

Castelovidense Helena Isabel Coelho lança livro “Carlota e as Estrelas-guia" esta tarde em Lisboa

Clicar na imagem para ampliar.

“Carlota e as Estrelas-guia” é o título do livro que a castelovidense Helena Isabel Coelho lança esta tarde em Lisboa no Clube Literário Chiado. 
A obra tem 422 páginas, foi dada à estampa este mês na colecção Palavras Soltas da reputada Chiado Editora, e pode já ser adquirida AQUI quer na versão em papel (16 euros) quer na versão ebook (3 euros).
Sinopse da obra
Carlota chega aos dezoito anos sem saber ao certo o caminho pelo qual deverá prosseguir dali em diante, agora que terminou o 12º ano e somente lhe resta como única certeza absolutamente intocável a de que não pretende de modo algum agir como a mãe e a irmã, aprisionando-se dentro do palácio onde reside como se se tratasse de uma verdadeira princesinha que não vive para mais nada a não ser para um mundo todo ele repleto de aparências.
Entre a psicologia, a redacção de um livro da sua própria autoria e a participação num concurso de decoração de espaços interiores, terá então que escolher a melhor alternativa pela qual enveredar, contando sempre com o precioso auxílio das suas estrelas-guia para que consiga finalmente encontrar os trilhos mais acertados pelos quais orientará a sua própria existência daqui para a frente.
A autora
Helena Isabel Coelho é invisual e licenciada em Jornalismo desde 2008, pelo Instituto Politécnico de Portalegre, e nutre um grande interesse pela infância e adolescência vivenciadas entre os finais da década de 80 e os inícios dos anos 2000, que justifica todas as referências que este livro abrange relativamente a certos brinquedos e/ou brincadeiras típicas dessas épocas, bem como a muitos programas televisivos que então eram emitidos sobretudo pela RTP. 
Nasceu e cresceu em Castelo de Vide, no Alentejo, tendo no entanto Lisboa como a sua segunda “Terra Mãe”, aquela onde normalmente tem como hábito procurar chegar um pouco mais perto de muitos daqueles que lhe são mais queridos, ainda que residam a cerca de três centenas de quilómetros do local onde habita. © NCV

Sem comentários: