Clicar na imagem para aceder aos ficheiros.

30 de julho de 2018

Luís Miguel Macedo cessa funções de coordenador técnico distrital na Associação de Futebol de Portalegre


Luís Miguel Macedo deixa de ser o Coordenador Técnico Distrital na Associação de Futebol de Portalegre e termina o seu vínculo a esta instituição amanhã dia 31 de Julho. É substituído nessas funções a partir do dia 1 de Agosto por Inês Rasquilha, segundo comunicado da Direção da AFP.
Esta mudança decorre do facto de a Associação de Futebol de Portalegre (AFP) ter deixado de ter a opção de escolher o tipo de vinculo do Coordenador Técnico Distrital por ter aderido ao "Projeto 22" da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), que determina que esta função tem de ser exercida a tempo inteiro. E a Federação deixaria de financiar a contratação do Coordenador Técnico Distrital, caso qualquer Associação Distrital não aderisse ao "Projeto 22", “não tendo a nossa Associação capacidade financeira para assegurar o lugar”.
Num comunicado da AFP, a sua Direção agradece “toda dedicação e colaboração, profissionalismo e empenho, que o Prof. Luís Miguel Macedo demonstrou durante o período que exerceu o cargo”.
Inês Rasquilha, a primeira mulher nestas funções 

A nova Coordenadora Técnica Distrital, Inês Rasquilha, será a primeira mulher a desempenhar as funções de Coordenadora Técnica Distrital de uma associação de futebol a nível nacional.
Com Licenciatura e Mestrado em Ciências do Desporto, possui o Curso de Treinadores de Futebol UEFA B / GRAU II, preencheu todos os requisitos para o cargo que se encontram estipulados no "Projeto 22" da Federação Portuguesa de Futebol.
André Relvas no marketing e comunicação
Em tempo de mudanças, a direcção da Associação de Futebol de Portalegre anunciou ainda que André Relvas passará a garantir as funções de Técnico de Marketing e Comunicação nesta Associação, também a partir do dia 1 de Agosto.
O jornalista André Relvas, que cessa funções no jornal Alto Alentejo onde trabalhou nos últimos 7 anos, preencheu todos os requisitos para o cargo que se encontram estipulados no "Projeto 22" da Federação Portuguesa de Futebol, que suportará todos os encargos, não tendo a Associação de Futebol de Portalegre “quaisquer custos inerentes a criação deste posto de trabalho”. © NCV

Sem comentários: